sexta-feira, 7 de março de 2014

Eva Longoria desmente episódio especial de “Desperate Housewives”


A atriz Eva Longoria usou seu microblog pessoal do twitter para desmentir um rumor sobre uma possível reunião do elenco de “Desperate Housewives” em um episódio especial.

Questionada sobre a nota do jornal que indicava a reunião ser verdadeira, a atriz respondeu: “Haha de jeito nenhum! Como eles conseguem inventar essas coisas? Não, não é verdade”.

Confira abaixo:
A reportagem do jornal afirma que Eva e as estrelas Teri Hatcher, Felicity Huffman e Marcia Cross “já estavam se preparando para interpretar as personagens”, e que “as quatro realmente precisavam que esse projeto acontecesse”. O especial tomaria lugar 10 anos no futuro, logo após um incêndio destruir a maioria das casas de Wisteria Lane.

“Elas já estavam perguntando quem iria receber as maiores cenas, maior tempo de tela, melhores diálogos – inclusive qual delas estaria liderando o pôster promocional do especial, mas o projeto ainda está em construção”, concluía o artigo.

Desperate Brasil
a sua fonte de notícias desesperadas

Felicity Huffman irá estrelar novo drama da ABC


A atriz Felicity Huffman vai estrelar um piloto de drama para a emissora ABC, criada por John Ridley, um dos roteiristas do filme “12 Anos de Escravidão”, conforme confirmou o TV Guide.

American Crime”, que será escrito, dirigido e terá a produção executiva do vencedor do Oscar, conta a história de um grupo de pessoas cujas vidas são viradas de cabeça para baixo por um julgamento racialmente complicado. Michael McDonald também vai ser produtor-executivo.

Huffman vai interpretar Barb Skokie, uma mulher que criou seus filhos sozinha em uma habitação pública, enquanto seu ex-marido Russ (Timothy Hutton) estava fora do jogo. Barb continua a guardar ressentimento por ser a única mulher branca e solteira no projeto de habitação e pelo tratamento que recebe por seus vizinhos. Quando seu filho Matt é assassinado, Barb decide ficar próxima à investigação para obter respostas e não vai dar declarações à imprensa se ​​isso manter pressão sobre a polícia para encontrar o assassino.

O piloto marca o retorno de Huffman à ABC depois de sua jornada de oito temporadas como Lynette Scavo em “Desperate Housewives”, que lhe rendeu um Emmy Award de melhor atriz em 2005.

Além de Huffman e Hutton, o elenco inclui Elvis Nolasco, Caitlin Gerard, Richard Cabral, Johnny Ortiz, Benito Martinez, W. Earl Brown e Penelope Ann Miller.

Desperate Brasil
a sua fonte de notícias desesperadas

segunda-feira, 3 de março de 2014

“Eu não penso sobre maternidade no momento”, diz Eva Longoria


Eva Longoria já foi casada duas vezes. Ela se separou do ator Tyler Christopher, depois de dois anos de casamento, em 2004. E também sofreu uma separação altamente divulgada do jogador de basquete francês Tony Parker, com seu casamento de quatro anos que terminou oficialmente em 2011.

Eva está imersa em deveres profissionais e quando perguntada se já pensa em ter filhos, a sua resposta foi direta.

“É claro que pensei, quando eu era casada. Mas maternidade não está no horizonte no momento, então não é algo que eu penso sobre”, disse ela ao Ocean Drive Magazine.

Em vez disso, Eva escolhe refletir sobre seus muitos empreendimentos na carreira, que inclui ser produtora executiva da série de sucesso da rede Lifetime, “Devious Maids”.

Embora a série tenha recebido algumas críticas no ano passado, Eva acredita que a proposta é inovadora em muitos aspectos.

“Organicamente, foi uma série inovadora para latinas, por ser a primeira de língua inglesa que mostrou cinco Latinas nos papeis principais, certificando-se que elas eram os compassos morais da série”, disse ela .

Eva criou “Devious Maids” com Marc Cherry, o homem por trás do estrondoso sucesso “Desperate Housewives”, e a nova série foi um sucesso surpreendente para a Lifetime quando foi ao ar durante o verão de 2013.

Eva Longoria dirige o episódio de estreia da segunda temporada, que será transmitido nos EUA no dia 20 de abril de 2014.

Desperate Brasil
A sua fonte de notícias desesperadas

Shawn Pyfrom assume vício em drogas e álcool


O ator Shawn Pyfrom, de 27 anos, que interpretou Andrew Van De Kamp no grande sucesso “Desperate Housewives”, assumiu em seu blog pessoal que é alcoólatra e viciado em drogas. O texto o qual comenta sua sobriedade e dificuldades com o vício foi postado após a morte do ator Philip Seymour Hoffman, encontrado morto no dia 02 de Fevereiro, em seu apartamento, após uma overdose.

Com o título “Algo Que Eu Preciso Compartilhar”, Shawn comenta sobre seus problemas e incentiva outras pessoas com o mesmo problema a não desistirem de se livrar do vício. Confira o texto traduzido:

“Acabei de ler a notícia sobre o sr. Philip Seymour Hoffman, e contra o conselho de outros, eu tive que escrever esta carta aberta. Eu não posso mais ficar quieto sobre isso...

Eu sou um alcoólatra e viciado em drogas.

E ontem (01/02) eu comemorei cinco meses de sobriedade. Eu sou relativamente novo na sobriedade, considerando o espaço de tempo que eu estive viciado. Mas dentro desse espaço, este é também o período mais longo em que eu estive sóbrio; desde que eu comecei a usar. Eu não tenho certeza de onde quero chegar em primeiro lugar, no que diz respeito a esta carta – a minha cabeça ainda está girando a respeito das notícias. Eu até questionei se deveria ou não publicar isso, enquanto digito estas palavras. Mas se estas palavras podem incentivar alguém para continuar vivendo, para não usar, ou para encontrar a força para parar, então é importante que essas palavras sejam ditas. Eu considerei que está em jogo, para mim, compartilhando isso – mas eu não estou preocupado. Eu não permitirei que minhas necessidades egoístas fiquem no caminho de alcançar potencialmente a vida de outro ser humano.

Quando a notícia chega até nós de uma figura pública, como o sr. Hoffman, que faleceu de uma terrível aflição, nós tendemos a ter a sensação de grande perda. É uma grande perda. Eu sinto dor quando ouço sobre um ser humano talentoso como ele deixar esta terra... Mas cada vida é importante. A perda de sua vida não é mais, nem menos, de uma perda do que qualquer outra pessoa. E sempre que uma pessoa usa drogas, está correndo o risco de que sua vida seja tirada. Seja [as drogas] roubando o fôlego, ou uma última batida do seu coração – que é deixado à mercê do destino. Mas eles vão roubar sua vida de você. Seja você um usuário ocasional, ou alguém que usa todos os dias. Cada momento passado com drogas (álcool incluído) é um momento roubado de sua vida. Uma memória que você só vai se lembrar com vaga reflexão – através de um vidro embaçado. Deixando uma marca em sua memória, como um selo sem tinta. Isso, é claro, é a minha própria realização.

Algumas pessoas poderiam argumentar que as drogas têm proporcionado alguns dos mais memoráveis ​​e criativos artistas que este planeta já viu. Jimi Hendrix, Kurt Cobain... A lista continua. Mas as drogas também encerraram suas vidas. É difícil dizer se a sua criatividade teria florescido, da mesma forma, se não fosse pela droga. Nós poderíamos debater e argumentar todos os dias sobre o tema das drogas e seus efeitos sobre a criatividade. Mas eu não escrevo isso para debater. Só para compartilhar. Até eu poderia dizer, falando de mim mesmo, que se não fosse pelas lutas e a experiência dos meus vícios, eu não teria criado as coisas que eu tenho. Posso dizer isso com toda a certeza. Mas eu preferia ter vivido os momentos que perdi, e visto o que teria sido, de forma criativa, como resultado. Isso é uma coisa que é indiscutível. Mas eu discordo. Estou escrevendo isso para qualquer um que quiser ler...

Quero expressar que eu escolhi compartilhar isto sobre mim porque eu não podia ouvir a respeito de outra pessoa cuja vida foi tirada devido ao vício, sabendo que eu fiquei quieto sobre mim. Sabendo que, se, por compartilhar a minha história, eu poderia salvar uma vida – e não o fiz; talvez eu não fosse mais capaz de me olhar no espelho com o mesmo orgulho que eu me permiti ter, para a superação da coisa que quase tirou minha vida.

Por vários anos, eu vivi por drogas. Eu vivi por outras coisas também, mas as drogas ditavam as outras coisas que vivi. Eu pensei mais sobre o uso, do que eu pensava sobre quaisquer outros ‘prazeres’. Eu me coloco em lugares que eu nunca teria terminado se não fosse por uma questão de ficar doidão. Existem inúmeras noites em que desmaiei, e tomei decisões pobres, como resultado do meu vício. Eu desperdicei o tempo de pessoas valiosas, que trabalharam tão duro para levar a minha carreira para um lugar mais alto, ao permitir que meus vícios me deixassem fora de seu controle. Eu preocupei as pessoas que se preocupam comigo. Meus amigos. Meus pais. Meus irmãos. Tudo por causa de algo que eu acreditava que tinha controle sobre. Eu nem percebi quão baixo as drogas e álcool tinham me puxado. Mas eu estou agora em um lugar mais alto. Não maior do que qualquer outra pessoa, ou qualquer um que esteja usando. Apenas um lugar mais alto do que eu estava antes. Meus pensamentos são claros. Meu corpo é energizado. E a criatividade agora flui para fora de mim, mais fácil do que quando eu estava usando. Eu acordo ansioso para meus dias, em vez de procurar uma forma de conseguir sobreviver a eles. Eu sinto a vida dentro de mim agora. A vida que eu tinha me privado há muito tempo.

Eu fiz uma promessa a mim mesmo que eu nunca iria ter um orientador de sobriedade – falando de um pódio que poderia ser interpretado como um arrogante ou julgador. E eu gostaria de esclarecer que esta carta não é a minha maneira de tentar doutrinar. Este não é o meu dogma. Esta é a minha verdade. Só minha. Não tenho julgamentos para o modo que alguém escolhe viver sua vida. E eu só tenho compaixão por aqueles que atualmente lutam com seus vícios. Eu sou afortunado o suficiente para não lutar com o meu. Eu posso dizer com toda a honestidade, que eu não tenho nenhum desejo de usar novamente. Mas levou um longo tempo, e um monte de luta, para, finalmente, chegar a esse lugar. Às vezes temos de aprender através de nossas próprias experiências – como eu fiz com as minhas. Eu estava muito voltado para meus próprios vícios para ouvir ninguém. Era ainda mais desagradável ouvir alguém falar sobre o vício para mim. Eu não era ‘uma parte desse clube’, pensei. Eu me desliguei de bons conselhos. Eu pensei que um viciado era alguém que eu não era. Eu pensei que eu tinha o controle. Eu pensei... Mas agora eu sei.

Eu sou um viciado, e eu nunca estive mais orgulhoso de dizê-lo. Porque quando eu penso sobre onde eu estive, e onde eu estou agora... Eu tenho orgulho do homem que abordou e admitiu para si mesmo, o que antes era uma negação. Orgulho e amor próprio são duas coisas que eu nunca tive para mim, até recentemente. Eu os mantenho perto, agora, pela minha própria consciência. E eu não trocaria isso por qualquer pílula, ou bebida – em qualquer dia. Eu poderia continuar, mas vou terminar aqui, por agora...

Se você estiver lendo esta carta, espero que tudo que sinta é encorajamento. Espero que lhe forneça força, da forma que eu pretendia. Seja você que está lutando contra um vício, ou você que nunca sequer tomou um gole de uma bebida. Espero que lhe dê força para considerar o potencial que o vício tem de acabar com tudo. Você pode ser um dos sortudos que consegue sair disso tudo. Com toda a sinceridade, bom para você. Mas eu vou deixar para você decidir se vale a pena correr o risco de se encontrar no final infeliz das coisas. Só sei que de qualquer forma, eu estou torcendo por você. Com apenas amor...

Eu espero que você pode salvar sua vida.

Com amor,

Shawn.”

Para ler a carta em inglês, clique aqui.

NÃO REPRODUZA SEM OS DEVIDOS CRÉDITOS

Desperate Brasil
A sua fonte de notícias desesperadas